Home > Blog > Arruda Bastos: A meiguice e a fortaleza de uma bela jovem

Arruda Bastos: A meiguice e a fortaleza de uma bela jovem

Tenho, ultimamente, dedicado-me a escrever crônicas que abordam facetas dos meus quatro filhos. Eles são, para mim, como cordas do meu coração. Hoje, vou dedicar minhas linhas a uma jovem que, desde pequena, é uma guerreira, mesmo contrastando com a sua incontestável meiguice e doçura. A sua força de atitudes, discernimento e postura na vida vem da mais tenra idade, digo que talvez até do útero materno.

Logo ao nascer, por intercorrência no puerpério da minha amada Marcilia, e diferentemente dos dois primeiros filhos, não foi amamentada. Como consequência, os seus primeiros anos foram recheados de problemas de saúde e de idas frequentes aos colegas pediatras. Aqui, aproveito para homenagear esses especialistas de tamanha importância na Medicina, que nem sempre são valorizados como merecem. Aliás, a Pediatria, como veremos, vai ser de grande importância na vida da minha protagonista.

Minha Livinha ficou pouco tempo como caçula, pois depois de um ano e pouco nasceu sua outra irmã. Não recordo, em nenhum momento, de alteração de humor ou de ciúmes quando da chegada da nossa filha mais nova; muito pelo contrário, elas passaram a formar de imediato uma dupla de grandes amigas, muito além da relação familiar, compartilhando o mesmo quarto, os mesmos brinquedos e hoje, mesmo depois de casadas, mantêm grande afeição e afinidade.

Recordo de muitos episódios da vida da minha adorável filha. Um deles, que me marcou bastante, foi um acidente doméstico que ela sofreu por volta dos seus três anos de idade. Não gosto muito de recordar daquela tarde quando recebemos, eu e Marcilia, uma ligação informando que ela estava ficando “roxa”, engasgada e sufocada com um dado. Ainda hoje não sei como me desloquei com tanta rapidez, pois, em poucos minutos, percorri mais de 12 quilômetros, distância da minha clínica para casa. Um verdadeiro recorde.

No trajeto, os pensamentos e as orações eram voltados para encontrarmos nossa amada filha bem. Entre muitas “Ave Marias” e “Pai Nossos”, chegamos em casa e, para nossa surpresa, não a encontramos. Ficamos lívidos e desesperados por alguns segundos; e só tranquilizados quando fomos informados que ela estava sendo socorrida por dois colegas médicos pediatras que residiam no meu condomínio. Só mesmo a insondável força divina para justificar a coincidência de fatos que se sucederam para o êxito do seu atendimento de urgência.

Esse drama nos marcou indelevelmente, pois nunca tínhamos passado por tamanha aflição.  O ocorrido também nos fortaleceu, uma vez que tivemos a certeza de que Deus estava a proteger nossa querida filha. Constatamos isso pela presença inusitada dos dois colegas, em casa, na tarde daquele fatídico dia, e por um deles ter a pinça apropriada para retirar o dado que a sufocava. Ademais, a inspiração da nossa secretária, Duda, e o seu discernimento de procurar ajuda em um momento de tamanho desespero foi fundamental. Hoje, posso dizer que nossa filha renasceu naquela ensolarada tarde e que, sem dúvida, sua postura de não se desesperar foi a avant premiere da sua força.

Lívia é uma filha exemplar. Não temos, em toda a sua trajetória de vida, um único momento de preocupação. Suas decisões são sempre inteligentes, pensadas e acertadas. Quando resolveu seguir a minha profissão, não me consultou, tomou por vocação. Ao passar no vestibular, não pestanejou em seguir seu sonho e ir morar longe da família, a mais de 500 quilômetros de distância. No início, ficamos receosos, pensando que sua aparente fragilidade, meiguice e saudade de casa a influenciaria a desistir do grande desafio que seria morar sozinha em uma terra distante.

O tempo passou e ela teve oportunidade de demonstrar toda a sua fortaleza e postura positiva diante da vida. Cursou os seis anos de Medicina sem nunca fraquejar. Encontrou entre os colegas de turma o grande amor da sua vida, formou-se, casou-se e hoje, como um tributo à vida, é uma excelente pediatra neonatologista. Dedica a sua atividade profissional, de forma incansável, a salvar vidas de recém-nascidos em salas de parto e UTIs neonatais. Escolheu uma especialidade belíssima e só quem tem um belo coração e muito amor pode exercê-la com devoção. Lívia é uma pessoa assim.

Poderia passar o dia a escrever e não terminaria de citar as grandes e belas qualidades que a protagonista de hoje tem. Ela é inteligente, uma filha exemplar, uma irmã amiga e carinhosa, uma esposa como poucas, uma tia cuidadosa e uma profissional competente e vocacionada. Desejo tudo de bom para a sua vida e que Deus e Nossa Senhora possam continuar derramando muitas graças e bênçãos.  Que todos os seus sonhos se realizem, pois se existe uma pessoa que merece isso nesse mundo é Lívia. Parabéns por mais esse ano de vida.

Arruda Bastos é médico, professor universitário, membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores e um pai apaixonado pela sua família.

Arruda Bastos
Médico, professor universitário dos cursos de Medicina e Enfermagem, especialista em Gestão em Saúde e Saúde Pública, escritor, radialista, ex-Secretário da Saúde do Estado do Ceará e coordenador do Movimento Médicos pela Democracia.
http://www.portalarrudabastos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *