Home > Blog > Discurso de saudação aos novos Sobramistas

Discurso de saudação aos novos Sobramistas

Boa noite.

Senhor presidente, ilustres Sobramistas, familiares, senhoras, senhores, meus colegas,

Que minha primeira saudação a todos e, principalmente, aos novos Sobramistas seja tão verdadeira como um pensamento inspirador da poetisa e contista Cora Coralina, que diz:

“Se temos de esperar, que seja para colher a semente boa que lançamos hoje no solo da vida. Se for para semear, então que seja para produzir milhões de sorrisos, de solidariedade e amizade”.

É com esse espírito que estamos hoje reunidos com muita honra e alegria para receber de mentes, corações e braços abertos os queridos novos companheiros.

Devo dizer, inicialmente, que me sinto profundamente honrado e feliz com a incumbência de proferir esta saudação. Honrado pela oportunidade de saudar os notáveis novos colegas escritores, e feliz por ter a certeza de que a partir dessa data nossa Entidade fica ainda mais engrandecida.

Não nos resta a menor dúvida que os novos confrades Fábio Rocha Fernandes Távora e Francisco de Assis Aquino Gondim e, as confreiras Maria Alcinet Rocha Soares, Maria Nogueira Machado Arcanjo e Paola Tôrres Costa são personalidades que engrandecem a medicina e a literatura cearense.

Antes, porém, de referir-me à caminhada que possibilitou aos novos confrades serem inseridos entre os expoentes médicos escritores do nosso estado, peço licença para ressaltar alguns pontos importantes nesta noite.

A Sobrames é uma associação cultural que congrega médicos que se dedicam à literatura. Fundada em 23 de abril de 1965 em São Paulo, e no Ceará em 24 de agosto de 1982, tem como principal objetivo a cultura das letras, além de estimular e divulgar os trabalhos de nossos autores.

E, como sabemos, as letras e as artes exercem um papel fundamental no desenvolvimento intelectual e lúdico dos indivíduos. E é isso que almejamos alcançar, mostrando como a cultura pode melhorar as condições de vida e podem auxiliar na construção de um mundo mais inclusivo.

É impossível falar dos confrades que ora ingressam na Sobrames sem antes destacar a importância do nosso do estado como berço de relevantes escritores, poetas, compositores, atrizes, humoristas e de grandes profissionais das ciências e da comunicação. O nosso compromisso, portanto, como médicos escritores é imenso.

Cabe-me, como determinado, falar sobre a trajetória pessoal e profissional dos valorosos companheiros, fato que implica em muita responsabilidade, pelo caráter de todos e, sobretudo, pelas qualidades intelectuais que são detentores.

Dessa forma, buscarei ater-me aos fatos e conjunturas que, a meu ver, são marcantes e determinantes das suas trajetórias de vida. Contudo, peço aos nobres colegas minhas escusas pelas omissões e imprecisões, caso ocorram, mormente pelas suas vastas e qualificadas biografias.

Quem são os colegas que hoje ingressarão na nossa Sociedade, a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores?

Fábio Rocha Fernandes Távora é natural de Fortaleza, nascido no ano de 1978, médico da turma de 2002 da nossa Federal. É patologista do Hospital de Messejana e colaborador da Pós Graduação em Patologia da UFC. Desde jovem, admira a poesia popular e os cordelistas nordestinos, mas só adulto, depois de publicar dois livros de Patologia (Patologia Cardiovascular e Patologia Torácica), resolveu publicar os cordéis “O Dotô e o Caroço” em 2010 e “O Profeta da Chuva” em 2015.

Francisco de Assis Aquino Gondim, nascido em Fortaleza, em 1974, é médico neurologista, mestre e doutor em Farmacologia pela UFC, livre docente em Neurologia pela USP-FMRP e docente da Universidade Federal do Ceará e da Unichristus. É autor de mais de 80 artigos científicos, 200 resumos e capítulos de livros, bem como 06 livros, destacando-se “Neuropsicofisiologia, Lesões medulares clínicas e experimentais”. Tem diploma do curso de piano do Conservatório de Música Alberto Nepomuceno. Ganhou o prêmio de segundo lugar no Concurso de Contos da Casa de Cultura Francesa da UFC com o Conto “La fureur”.

Maria Alcinet Rocha Soares nasceu em Fortaleza, em 1956, cursou o ensino fundamental em Massapê-CE, e médio na Capital, no Liceu do Ceará e no Colégio Cearense. Graduou-se em Medicina pela UFC, em 1980. Realizou Residência na área de Medicina Preventiva e Social, Pós-graduação em Medicina do Trabalho e em Hematologia e Hemoterapia, pela UFC. Foi agraciada em 1985, com o Prêmio Dr. Amyr Rocha Franco, por ter obtido o terceiro lugar no Concurso Trabalho Científico do Ano, da SESA, com o estudo inscrito sob o título “Mortalidade infantil no município de Fortaleza em 1981”.

Maria Nogueira Machado Arcanjo, natural de Caririaçu – CE, é médica formada pela Universidade do Recife em 1955. Dedicou toda a sua vida profissional ao cuidado de crianças com Paralisia Cerebral. Sua atividade literária começou muito cedo, no Ginásio Santa Teresa, no Crato, depois no Colégio Juvenal de Carvalho, em Fortaleza e, posteriormente na universidade, produzindo artigos, crônicas e poesias, atuando ainda como correspondente do Jornal O Povo em Santana do Acaraú – CE. Só recentemente, porém, tornou pública parte de seus escritos, publicando os livros de poemas  “Caminhada e Orações”.

Paola Tôrres Costa é médica, compositora, cineasta, escritora e cordelista. Natural de Gravatá, autodenomina-se de Pernamburense (mistura de Pernambucana e Cearense). É Professora Titular do Departamento de Medicina Clínica da UFC. Na literatura, escreveu um livro de poesias chamado “Marcas no Silêncio” e um livro autoetnográfico chamado “Andei por Aí – Narrativas de uma Médica em Busca da Medicina”. O próximo, com o título: “A Medicina que Toca”, está previsto para 2018. Escreveu também vários títulos em Literatura de Cordel, entre eles “A Saga do Caroço”, “Medicina, Cordel e Cantoria é Remédio que Veio para Curar”, “Essa tal Neoplasia”, “Pequeno Dicionário do Dialeto dos Médicos” e “Os Médicos da Caatinga – Viagens de Paola Tôrres e Dráuzio Varella”.

Após esse relato, indubitavelmente, colheremos em breve, os bons frutos da convivência diária e da contribuição acadêmica dos novos confrades, o que, como já comentei, alavancará ainda mais o sucesso da nossa Sobrames, entidade literária em pleno vigor juvenil e uma das mais conceituadas do Brasil. Sejam bem vindos.

Gostaria de parabenizar e agradecer o nosso Presidente, o confrade Marcelo Gurgel, que, com competência e de forma democrática, dirige os destinos da nossa Entidade. Reconheço também o papel de todos os colegas confrades e confreiras da nossa Diretoria.

Permitam-me, neste momento, também saudar a todos os Sobramistas, dando-lhes o reconhecimento do papel desenvolvido pelos senhores e senhoras no seio da nossa Entidade e de vossas contribuições para o avanço da literatura e reconhecimento da cultura letrada em nosso estado.

Para concluir, fui buscar inspiração no poema “Síntese das antíteses”, escrito pelo filósofo Lao-Tsé por volta do século VI a.C., na China.

“Só temos consciência do belo quando conhecemos o feio. Só temos consciência do bom quando conhecemos o mau. Porquanto, o Ser e o Existir se engendram mutuamente. O fácil e o difícil se completam. O grande e o pequeno são complementares. O alto e o baixo formam um todo. O som e o silêncio formam a harmonia. O passado e o futuro geram o tempo. Eis porque o sábio age pelo não-agir. E ensina sem falar. Aceita tudo que lhe acontece. Produz tudo e não fica com nada. O sábio tudo realiza – e nada considera seu. Tudo faz – e não se apega à sua obra. Não se prende aos frutos da sua atividade. Termina a sua obra, e está sempre no princípio. E por isso a sua obra prospera.”

Esse poema me faz refletir sobre a nossa condição de estarmos no mundo, e na questão antropogênica que se coloca: quem sou? Onde estou? Como vivo?

Com essas interrogações e pensamentos termino minha saudação aos novos Sobramistas, almejando que todos, nesse Natal, reflitam sobre o mundo em que vivemos e na forma como vivemos no mundo.

Feliz Natal e um Ano Novo repleto de luz, saúde, paz e felicidades.

Muito obrigado a todos.

Fortaleza, 11 de dezembro de 2017

Raimundo José Arruda Bastos é médico, ex-secretário da Saúde do Ceará e membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores

 

Arruda Bastos
Médico, professor universitário dos cursos de Medicina e Enfermagem, especialista em Gestão em Saúde e Saúde Pública, escritor, radialista, ex-Secretário da Saúde do Estado do Ceará e coordenador do Movimento Médicos pela Democracia.
http://portalarrudabastos.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *