Home > Blog > Diário de uma quarentena (19º dia) A inspiração de Roberto Carlos na rotina de uma quarentena

Diário de uma quarentena (19º dia) A inspiração de Roberto Carlos na rotina de uma quarentena

Diário de uma quarentena (19º dia)

A inspiração de Roberto Carlos na rotina de uma quarentena

Por Arruda Bastos

Durante o dia de hoje, lembrei-me da música de Roberto Carlos intitulada “Rotina”. Como não recordava da letra por completo, resolvi procurar no YouTube e no canal do Rei o vídeo do grande sucesso de 1973. Digo que assisti por rias vezes,o que me fez, fechando os olhos, retornar ao tempo de rapaz e das tertúlias.

Acredito que o tema surgiu devido aos dezenove dias de isolamento social e a rotina que sigo religiosamente desde o início. Só para relembrar:acordar cedo, realizar exercícios, tomar banho de sol na varanda, fazer manutenção em casa, ler um livro, ministrar aulas virtuais, escrever uma crônica e muito mais. A verdade é que nunca pensei que fosse sentir saudade da minha rotina antes da quarentena.

Na música, Roberto diz que “O sol ainda não chegou e o relógio há pouco despertou”, depois A mesma condução, a mesma hora, os mesmos pensamentos chegam, e mais adiante Estou chegando para mais um dia de trabalho que começa. Do meio para o fim encontramos: “O dia vai passando, a tarde vem e pela noite eu espero” e “Não posso controlar minha vontade de sair correndo agora”.

A letra descreve a rotina de um casal apaixonado. Tudo começa quando ele vai trabalhar bem cedinho e deixa sua amada ainda dormindo. Roberto fala daforça de vontade para sair de casa e diz cantandoEu olho outra vez seu corpo adormecido e mal coberto, quase não me deixa ir; aí, em um impulso,“Fecho os olhos, viro as costas num esforço, eu tenho que sair, e no caminho do trabalho sente que “Meu corpo está comigo, mas meu pensamento ainda está com ela”.

Durante todo o dia, ele só pensa em voltar para casa e a música confirma: “Vou contando as horas que me separam de tudo aquilo que mais quero” e o momento mais feliz é quando toca o fim do expediente, “Meu rosto se ilumina num sorriso no momento de ir embora” e, chegando em casa, a letra descreve o reencontro dos amantes: “A porta se abre e de repente eu me envolvo inteiro nos seus braços”.

Nos parágrafos anteriores, embaralhei de propósito alguns trechos da música, pois a mensagem de hoje é para frisarmos a importância de mantermos o isolamento social e salientar a difícil rotina que nos é imposta pelo coronavírus.

Finalizando, digo que sou fã de Roberto Carlos e que a mensagem da letra de “Rotina” deve ser valorizada. Para quem entrou na quarentena com sua amada, como eu e muitos de vocês, a noite é sempre como sugere o Rei “E o nosso amor começa e só termina quando nasce mais um dia, um dia de rotina, um dia de rotina. Que o amor seja a melhor forma de começar e terminar o nosso dia!

Amanhã eu volto com uma nova crônica.

Este foi o dia nº 19. #FiquemEmCasa

Arruda Bastos é médico, professor universitário e presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (SOBRAMES-CE)

Rotina

Roberto Carlos

O sol ainda não chegou

E o relógio há pouco despertou

Da porta do quarto ainda na penumbra

Eu olho outra vez

Seu corpo adormecido e mal coberto

Quase não me deixa ir

Fecho os olhos, viro as costas

Num esforço eu tenho que sair

A mesma condução, a mesma hora

Os mesmos pensamentos chegam

Meu corpo está comigo mas meu pensamento

Ainda está com ela

Agora eu imagino suas mãos

Buscando em vão minha presença

Em nossa cama

Eu gostaria de saber o que ela pensa

Estou chegando para mais um dia

De trabalho que começa

Enquanto lá em casa ela desperta

Pra rotina do seu dia

Eu quase posso ver a água morna

A deslizar no corpo dela

Em gotas coloridas pela luz

Que vem do vidro da janela

 

Um jeito nos cabelos

Colocando seu perfume preferido

Diante do espelho aquilo tudo

Ela esconde num vestido

Depois de um café, o olhar distante

Ela se perde pensativa

Acende um cigarro

E olhando a fumaça pára e pensa em mim

 

O dia vai passando, a tarde vem

E pela noite eu espero

Vou contando as horas que me separam

De tudo aquilo que mais quero

Meu rosto se ilumina num sorriso

No momento de ir embora

Não posso controlar minha vontade

De sair correndo agora

 

O trânsito me faz perder a calma

E o pensamento continua

Pensando em minha volta muitas vezes

Ela vem olhar a rua

A porta se abre e de repente eu

Me envolvo inteiro nos seus braços

E o nosso amor começa

E só termina quando nasce mais um dia

Um dia de rotina, um dia de rotina

 

O sol ainda não chegou

Num dia de rotina

O nosso amor começa e termina

Quando nasce mais um dia

Um dia de rotina

Arruda Bastos
Médico, professor universitário dos cursos de Medicina e Enfermagem, especialista em Gestão em Saúde e Saúde Pública, escritor, radialista, ex-Secretário da Saúde do Estado do Ceará e coordenador do Movimento Médicos pela Democracia.
http://www.portalarrudabastos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *